Património arqueológico de Proença-a-Nova disponível para visita
Proença-a-Nova
2017-11-03 12:11:48
Povo da Beira

O Forte das Batarias I, em Catraia Cimeira, e a Anta do Cabeço da Anta, em Moitas, receberam a primeira visita de estudo dos alunos do ensino secundário da área de Humanidades e do CEF Turismo da Escola Pedro da Fonseca. Estes dois locais, que têm vindo a ser investigados pelo Campo Arqueológico Internacional de Proença-a-Nova, encontram-se já disponíveis para receber visitas.

Apesar de cinco mil anos separarem estes dois locais, remetendo para duas épocas distintas da história, os alunos puderam perceber a dinâmica do povoamento territorial ao longo dos tempos, a defesa e a importância do mesmo na história local e nacional, principalmente no que ao conjunto defensivo Talhadas-Moradal diz respeito.

Com apresentação realizada pelo professor de História, António Manuel Silva, o Cabeço da Anta refere-se a um período histórico entre os quatro e três mil anos Antes de Cristo e é onde está localizada a maior sepultura megalítica da beira baixa. O Forte das Batarias I pertence ao conjunto defensivo Talhadas-Moradal, entre a segunda metade do Século XVII e primeiras décadas do Século XVIII. 

Preservar o património arqueológico que existe no território e valorizar o potencial turístico das estruturas militares, aliando o conhecimento e partilhando-o, são estratégias definidas pelo Município proencense.



Última edição