Obras na Escola Secundária Amato Lusitano terminam em fevereiro
Educação
2018-01-08 10:26:31
Patrícia Calado

João Belém, diretor do Agrupamento de Escolas Amato Lusitano, anunciou, esta segunda-feira, que as obras de requalificação da escola secundária, terminam em fevereiro, estando previsto que a comunidade escolar usufrua desta requalificação já no terceiro período.

A partir desta altura, a Escola Secundária Amato Lusitano vai ter assim um anfiteatro, uma ambição há muito desejada pela direção.

“Estas obras vêm de encontro a uma aspiração que nós tínhamos, porque não tínhamos um anfiteatro onde pudéssemos receber os nossos convidados e trabalhar com os nossos alunos e que seja transversal a todo o agrupamento. Além do anfiteatro, foi requalificado o ginásio, os balneários, e uma grande percentagem de salas de aula, onde foi tudo remodelado, desde a pintura, a parte elétrica – que estava já muito degradada – e está já com leds, dentro da atualização, o chão, as persianas… Foi uma obra que muito nos beneficiou e vai dar melhores condições”, descreveu o diretor deste agrupamento.

João Belém informou ainda que os alunos vão poder usufruir do ginásio “já daqui a um mês”.

Hortense Martins, deputada da Assembleia da República, visitou as obras neste estabelecimento de ensino, que beneficiou de um “investimento importantíssimo”.

“A comunidade educativa poderá usufruir deste investimento, que é relevante. Esta escola tem mantido condições, quer de manutenção quer de ambiente, que também são de relevar. A escola está a ser bem tratada e isso também tem a ver com a política da direção. O novo anfiteatro, que era algo que a escola não tinha, vai permitir unir várias componentes e atividades naquele espaço, espero que o próximo parlamento dos jovens possa ser feito aqui”, comentou a deputada socialista eleita pelo círculo eleitoral de Castelo Branco.

Para Hortense Martins, a “educação é o elemento mais importante para uma sociedade mais igual, daí que o investimento nas escolas seja prioritário”. Por isso, lamentou o facto deste processo ter estado “bloqueado”. No entanto, a Câmara Municipal de Castelo Branco meteu mãos à obra e possibilitou que tanto a Escola Secundária Amato Lusitano, como a Escola Secundária Nuno Álvares vissem finalmente as suas instalações a beneficiar destas requalificações.

Numa altura em que se fala tanto sobre a descentralização de competências para as autarquias, Hortense Martins referiu que tal já se sente no concelho de Castelo Branco “quer ao nível das refeições, quer ao nível dos transportes, quer ao nível da manutenção e equipamentos, isso já existe”.

“Quando for a altura certa, saberemos mais informações. Neste momento estamos em fase de discussão em diversas áreas, e a educação é uma dessas áreas, mas como vemos aqui, na prática, a educação é onde se faz sentir essa descentralização”, sustentou.

Hortense Martins foi até ao Agrupamento de Escolas Amato Lusitano, não só para visitar as obras, mas também para uma sessão do Parlamento dos Jovens, que se realizou na Escola João Roiz.

“Este ano, a sessão dedica-se ao tema da igualdade, que está na agenda, não só em Portugal. Começa a haver a preocupação de fazer progressos nessa área, e naturalmente que isso deve começar na escola”, referiu.



Última edição