Benfica e Castelo Branco no mercado à procura de reforços
Desporto
2018-01-10 12:04:49
Lourenço Martins de Carvalho

O mês de janeiro é a altura da maioria dos clubes retocar os plantéis, reforçar zonas mais fragilizadas e colmatar saídas. O Benfica e Castelo Branco está atento ao mercado e com a saída de Marco Aurélio, a lesão de Júnior Mendes – não joga mais esta temporada – e a recente lesão de Tomás – lesionou-se no último encontro frente ao Anadia e pode obrigar a uma paragem – vai obrigar os albicastrenses a contratar “um ou dois jogadores”.

“Estamos atentos. Procuramos jogadores, principalmente, para o centro do terreno e para o ataque”, afirmou Miguel Vaz, diretor desportivo do Benfica e Castelo Branco, acrescentando que o clube, neste mercado, “já teve um jogador quase contratado, mas que por motivos pessoais preferiu ficar em Lisboa”.

O dirigente explicou que os albicastrenses estão à procura de jogadores que possam trazer algo novo à equipa, até porque há sempre a questão financeira. “Não nadamos em dinheiro e portanto temos de tentar acertar o máximo possível nas contratações. Queremos alguém que venha fazer a diferença”.

Se a entrada de caras novas é um dado adquirido, a questão das saídas é bastante diferente. “Neste momento, não vejo ninguém que possa sair. As soluções são poucas e o plantel está reduzido. Estamos a precisar, o mais rápido possível, de contratações. Pelo menos um ou dois jogadores terão que vir”, confessou.

Kikas tem sido associado a vários clubes e já assinou mesmo contrato válido por três temporadas com o Belenenses, permanecendo no Benfica e Castelo Branco até ao final da presente época. Um desejo que vai ao encontro de todas as partes.

 “A vontade do clube, do Kikas e do empresário é que ele se mantenha cá até ao final da época e acho que é o melhor para ele. O Kikas está a crescer e a tornar-se num grande jogador, mas acho que precisa da estabilidade que encontra aqui. É importante acabar aqui a época, porque com os golos que tem feito, pode terminar a temporada perto dos 30 tentos e, então aí, vai ter vários clubes atrás dele”, vaticinou.

O Benfica e Castelo Branco tem, nos últimos anos, conseguido construir sempre plantéis fortes e os jogadores acabam, quase sempre, nas ligas profissionais. Miguel Vaz explicou que isso acontece graças ao “conhecimento que o clube tem dos jogadores” e à análise que acontece durante toda a temporada.

 “Temos uma coisa boa. Somos um clube que paga certo e tratamos os jogadores como se fossem nossos filhos e eles, durante e no final da época, têm sempre interessados. Temos tentado sensibilizar a eles e aos empresários que os jogadores também têm de estabilizar para crescer. Queremos manter os jogadores mais que um ano, mas não é fácil, são sempre muito cobiçados”, concluiu.

As caras novas estão perto de chegar ao Vale do Romeiro e podem ser anunciados a qualquer momento.



Última edição