Terceira seguida: Oleiros vence em Castelo Branco
Desporto
2018-03-11 12:21:29
Lourenço Martins de Carvalho

A ARC Oleiros venceu (0x1) o Benfica e Castelo Branco, conquistando os três pontos no derby do distrito. A equipa oleirense foi a Castelo Branco somar a terceira vitória consecutiva e acredita cada vez mais na possibilidade de manter-se no Campeonato de Portugal.

O jogo começou de forma morna, sem muito jogo perto das duas balizas, mas depressa mudou de forma. À passagem do minuto 10, Ronny falhou a interceção, Kikas isolou na direita, cruzou e, ao segundo poste, apareceu Tomás que, só não fez o primeiro da tarde, porque a lama junto da baliza atrapalhou o albicastrense.

Logo de seguida nova situação de perigo. Cruzamento largo na esquerda e, quando já todos pensavam que a bola ia sair, surgiu Kikas no segundo poste, obrigando o guardião a uma defesa atenta.

O Oleiros reagiu ao maior caudal ofensivo do adversário e chegou mesmo à vantagem. Danilson cometeu falta dentro da área sobre Diego, sendo o mesmo camisola 11 dos oleirenses a inaugurar o marcador da marca dos onze metros.

O avançado brasileiro tinha cinco golos nos últimos dois jogos e, neste encontro, continuou de pé quente.

O Benfica e Castelo foi à procura do prejuízo e Tomás teve mais uma oportunidade de perigo. Zezinho centrou na esquerda e, no centro da área, o médio “encarnado” a cabecear ao lado da baliza de Júlio.

Um livre lateral de Youssouf perto do intervalo levou o caminho da cabeça de Danilson, mas a bola passou novamente ao lado das redes adversárias.

Os albicastrenses, na sequência de um canto, estiveram muito perto da igualdade. Muita confusão na área dos forasteiros, o esférico sobrou para Diogo Costa que, com um remate rasteiro, obrigou o guarda-redes a esticar-se para segurar a vantagem.

O intervalo chegou com a vantagem mínima do Oleiros. Um resultado que premiava a organização defensiva dos visitantes e penalizava a falta de eficácia dos jogadores da casa.

A primeira boa ocasião de golo da segunda parte foi para os comandados de Natan Costa. Ivan Fidalgo rematou contra a defesa, a bola sobrou para Diego que, na cara de João Lourenço, permitiu a defesa do guarda-redes.

Youssouf Sow teve em excelente posição para igualar o marcador. Cruzamento largo na esquerda de Zezinho, os defesas oleirenses ficam parados, sobrando a bola para o avançado albicastrense que, em vez de atacar o esférico com a cabeça, dá uma peitada e amortece para o guarda-redes. Má abordagem do número 10 da equipa da casa.

Ricardo António lançou Gazela, Pedro Almeida e Igor Taborda, mas os seus pupilos não conseguiam furar a muralha contrária e a vantagem ia mantendo-se nos forasteiros.

Apesar do esforço e do forcing do conjunto albicastrense, os visitantes conseguiram manter sempre a organização defensiva e o resultado não sofreu qualquer alteração até ao apito final, viajando os três pontos para Oleiros.

Com este resultado, o Benfica e Castelo Branco continua com 47 pontos e fica com uma tarefa muito complicada para seguir para as eliminatórias de subida. A ARC Oleiros aumenta para os 28 pontos e continua muito vivo na luta pela manutenção, quando faltam seis jogos para terminar a fase regular.

Na próxima jornada, os pupilos de Ricardo António deslocam-se ao terreno do Fornos de Algodres. Já os jogadores de Oleiros recebem o Marinhense, num embate com adversário direto e numa verdadeira final.

FICHA DE JOGO

Estádio: Vale do Romeiro

Árbitro: Paulo Raposo

BENFICA E CASTELO BRANCO: João Lourenço, Fábio Mariano, Danilson, Diogo Costa, Zezinho (Igor Taborda 83’), Patas, Dani Matos, Bruno Simões (Pedro Almeida 79’), Tomás (Gazela 65’), Yossouf, Kikas

Treinador: Ricardo António

Suplentes não utilizados: Filipe Dinis, André Romão, Babia, L. Silveiro

ARC OLEIROS: Júlio, Tiago Gomes, Ronny, Hugo Ribeiro, Pedro Luís, Jimmy, Leandro (Jackson 61’), Eder, André Lourenço, Diego (Djo Djo 66’), Ivan Fidalgo (Vasco 75’)

Treinador: Natan Costa

Suplentes não utilizados: Luís Pedro, Adilson, Tang, Rui Daniel

GOLOS: Diego (13’ g.p.)

Disciplina: Kikas (43’), Jackson (71’), Patas (75’), André Lourenço (84’)



Última edição