Associação Juvenil Ribeiro das Perdizes assinala uma década
Castelo Branco
2018-03-12 12:02:11
Lourenço Martins de Carvalho

A Associação Juvenil Ribeiro das Perdizes (AJRP) celebrou no passado domingo, dia 12 de março, o décimo aniversário. A data foi celebrada na sede, contando com a tomada de posse dos membros eleitos no passado dia 8 de março e um almoço de convívio com vários elementos de outras Associações da cidade e membros da autarquia e da Junta de Freguesia.

Sílvia Resende, presidente reeleita da AJRP, mostrou-se satisfeita e orgulhosa pelo número redondo, explicando que a ideia é manter o mesmo caminho.

“O plano mantém-se simples – cumprir o plano aprovado pelos associados. Encerra-se uma década e outra se iniciará”, afirmou.

A líder associativa agradeceu às pessoas que concluíram no último mandato o seu trabalho, não esquecendo o passado.

“Não esquecemos o passado. Passeios pedestres, de motos antigas, atividades desportivas, zumba, ginástica e os Chibatas. O trabalho da Associação tem sido significativamente reconhecido”, assumiu.

Sílvia Resende deixou ainda um apelo ao Presidente da Câmara: obras na sede para fechar o salão e a criação de uma kitchenette para cozinhar.

Leopoldo Rodrigues, presidente da Junta de Freguesia de Castelo Branco, realçou os “dez anos cheios de realizações, com jovens e que traz juventude à Freguesia”, lembrando que a vida das associações nem sempre é fácil.

“Queremos a interação das associações com as pessoas. A vida dos dirigentes associativos não é fácil - falta de meios, de reconhecimento – por isso coragem para os próximos anos”, desejou.

Luís Correia lembrou o crescimento da AJRP, “não apenas em atividades e sócios”, e a dinamização “da sociedade e que muito representa o concelho de Castelo Branco”.

“Devemos acarinhar o trabalho que as associações fazem e acompanhar e apoia-las. Existe uma relação de confiança e amizade entre as associações e a Câmara Municipal. E isto é importante porque é o sentir da história de Castelo Branco e sentir a comunidade”, reforçou.

O líder da autarquia afirmou que “é uma honra para a cidade ter um conjunto de associações com a força que têm. É raro ver isso em Portugal. Castelo Branco deve orgulhar-se disso”, prometendo continuar a trabalhar da mesma forma como até agora.

“Todas as associações têm da parte da Câmara Municipal a possibilidade de dialogo e esclarecimento para a comunidade e o concelho de Castelo Branco crescerem”, disse.

Em relação ao pedido feito por Sílvia Resende, Luís Correia disse que “não entra em populismos e demagogias”, confessando que ia conversar em privado com a dirigente associativa.

Os novos membros da Associação foram eleitos com 95% dos votos a favor e 4% de votos em branco.



Última edição