Associação “As Palmeiras” celebra 26.º aniversário
Castelo Branco
2018-03-12 12:02:27
Lourenço Martins de Carvalho

A Associação “As Palmeiras” celebrou no passado domingo, dia 11 de março, o 26.º aniversário. A celebração surgiu ainda para homenagear os sócios com 25 anos de associados e contou com a presença de vários associados e de elementos da Câmara Municipal e da Junta de Freguesia.

Davide Jacinto, presidente da associação, destacou a data e relembrou a costela cultural que sempre caracterizou “As Palmeiras”.

“26 anos é de facto uma data que já permite dizer que a Associação «As Palmeiras» tem tido, nas sucessivas direções, atenção às necessidades da população em que está inserido. Sendo que certo que, nem sempre conseguimos chegar a tudo e a todos, nos últimos 26 anos temos tido a capacidade de ouvir e tentar resolver aquilo que são as necessidades do Bairro, mas sobretudo as atividades da Associação – como as Marchas de Santo António”, continuando.

“Como sabem a associação «As Palmeiras» tem tido um papel muito importante naquilo que é a defesa cultural. Estamos inseridos numa área de cultura popular – banda Filarmónica cidade de castelo branco. E queremos continuar assim, porque achamos que a gene está aí”, deixando um desafio às outras coletividades e população para participarem nas Marchas de Santo António, que se realizam no dia 16 de junho.

Leopoldo Rodrigues, presidente da Junta de Freguesia de Castelo Branco, esteve presente na celebração e realçou o papel que associação desempenha na área da Cultura.

“É verdade que esta associação, desde o início, está muito virada para as questões culturais. Este facto é significativo, pela preocupação com a cultura, pelo património e pela divulgação da história e do sentir de castelo branco. Temos o privilégio de ter uma cidade onde há associações fortes, muito interventivas e onde as populações se revêem”, disse.

Luís Correia, presidente da Câmara Municipal de Castelo Branco, mostrou-se atento ao trabalho desenvolvido pela associação e satisfeito pela relação da autarquia com as instituições.

“Sabemos o trabalho que esta associação tem feito ao longo dos 26 anos. Temos associações fortes que nos ajudam a dinamizar o concelho. Esta associação não tem uma área de intervenção restrita ao bairro que nasceu. Têm sido 26 anos de dialogo permanente, verificação daquilo que são as necessidades, com o entendimento sobre o caminho a seguir e os objetivos das associações e da autarquia”, explicando que este deve ser o caminho a seguir.

“É assim que deve ser feito o desenvolvimento da cidade. Felizmente há muitos anos que o entendimento na Câmara Municipal é que aquilo que se faz de base deve ser acrescentado com outras instituições. Desta forma achamos que podemos fazer melhor, ir mais longe e desenvolver o concelho. Vamos além da nossa abragencia enquanto autarquia”, concluiu.



Última edição