Crianças juntam-se contra os maus tratos
Vila Velha de Ródão
2018-04-22 12:35:03
Povo da Beira

As crianças da creche e do 1.º ciclo de Vila Velha de Ródão juntaram-se, nos dias 11 e 18 de abril, para criar o Laço Azul Humano, uma iniciativa inserida na Campanha Laço Azul e no Mês Internacional da Prevenção dos Maus Tratos na Infância, organizada pela Comissão de Proteção de Crianças e Jovens (CPCJ) de Vila Velha de Ródão, em colaboração como o CLDS e o Agrupamento de Escolas.

A Campanha Laço Azul é uma ação internacional que visa sensibilizar os mais novos para a problemática dos maus tratos na infância e consciencializá-los para a importância da prevenção, sendo organizadas várias ações de sensibilização junto da comunidade.

A 4 de abril, a campanha teve início com a distribuição à população de laços azuis e flyers a explicar a História do Laço Azul, bem como com a colocação laços gigantes nos principais edifícios públicos de Vila Velha de Ródão.

Foi ainda lançado o concurso “Stop à Violência”, destinado às crianças e jovens do concelho, e organizado um conjunto de atividades físicas.

No dia 11, as crianças da creche da Santa Casa da Misericórdia de Vila Velha de Ródão juntaram-se para formar um Laço Azul Humano, iniciativa que foi repetida com entusiasmo, no dia 18, pelos alunos do 1.º ciclo.

Neste dia foram também atribuídos os prémios aos primeiros três classificados que participaram no concurso.

A Campanha do Laço Azul teve origem nos Estados Unidos, em 1989, quando Bonnie W. Finney decidiu atar uma fita dessa cor à antena do seu carro, como forma de homenagear os dois netos, vítimas de maus tratos.

O azul, cor das nódoas negras resultantes das agressões, seria assim um símbolo e um lembrete constante da importância da proteção das crianças vítimas de violência e negligência.

Com a adesão a esta iniciativa, a CPCJ, o CLDS e o Agrupamento de Escolas de Vila Velha de Ródão procuram sensibilizar a comunidade local e dar visibilidade à questão dos maus tratos infantis, contribuindo desta forma o despertar das consciências e para a promoção e proteção dos direitos das crianças.



Última edição