Franceses investem em projeto de moradias ecológicas em Idanha-a-Nova
Idanha-a-Nova
2018-05-30 11:15:37
Povo da Beira

Investidores franceses avançaram com um projeto de construção de 40 moradias ecológicas, situadas num condomínio com 238 hectares, em Monsanto, cujo custo irá situar-se entre os 4 e os 5 milhões de euros.

“O projeto já arrancou. Neste momento, estão a ser feitas as infraestruturas básicas num terreno de 238 hectares, na Herdade do Carvalhal, próximo de Monsanto”, explicou o presidente da Câmara Municipal de Idanha-a-Nova, Armindo Jacinto.

O projeto “Monsanto Verde”, que foi recentemente apresentado no Salão do Imobiliário e do Turismo Português em Paris, onde o município de Idanha-a-Nova marcou presença, inclui a construção de 40 casas bioclimáticas, cujos lotes terão uma área mínima de três hectares cada.

O autarca realça a importância deste investimento para Idanha-a-Nova e sublinha que a escolha dos investidores recaiu no concelho, devido à estratégia e à aposta que o município tem feito na economia verde.

“A nossa estratégia foi fundamental para a decisão dos investidores em optarem por Idanha-a-Nova. Além disso, o posicionamento da vila em relação a Lisboa, Porto e Madrid, também pesou na decisão”, disse.

Armindo Jacinto sublinhou ainda que Idanha-a-Nova é o primeiro município português a integrar a Rede Internacional Bio Regiões e o projeto está situado em pleno Geopark Naturtejo da UNESCO.

O “Monsanto Verde” visa integrar todas as componentes do desenvolvimento sustentável, nomeadamente a economia colaborativa, funcional, social, circular e ecológica.

O objetivo passa por criar um espaço social, ecológico e economicamente responsável que se venha a assumir como o empreendimento de desenvolvimento sustentável mais completo até hoje em Portugal.

As casas vão ser construí- das com base numa arquitectura moderna, utilizando materiais tradicionais da região, como a madeira e as pedras. Vão ser equipadas com as mais recentes tecnologias para a geração e armazenamento de energias renová- veis, condicionamento de ar natural e reciclagem de resíduos e efluentes, combinando o antigo ‘know -how’ com as mais recentes tecnologias digitais.



Última edição