Castelo Branco voltou aos tempos medievais
Castelo Branco
2018-06-13 11:28:24
Lourenço Martins de Carvalho

Os “Dias Templários” realizou-se no passado fim-de-semana, de 7 a 10 de junho, em Castelo Branco, trazendo milhares de pessoas à zona do Castelo. A edição deste ano contou com algumas melhorias e novidades, como a zona de restauração, instalada no Miradouro de S. Gens.

A inauguração da Feira Medieval decorreu na passada quinta-feira, dia 7 de junho, contando com a presença de várias personalidades e instituições da cidade.

“Está uma excelente Feira Medieval e estamos também com muita expectativa em relação aos espetáculos e à animação. Temos aqui todas as condições para concretizar os Dias Templários e promover, desta forma, a cidade e a ligação que Castelo Branco tem aos templários”, afirmou o presidente da Câmara Municipal de Castelo Branco, realçando a excelente oportunidade para os empresários locais.

“É um momento de oportunidade para os nossos empresários e pequenos produtores que aqui estão a vender os seus produtos, para que assim possam ter maior sucesso e rentabilizar a produção”, lembrou.

Luís Correia reforçou a importância destes eventos para mostrar a cidade e atrair pessoas de fora.

“Todas as pessoas podem visitar o que temos de agradável e de bom, sobretudo os museus que temos nesta zona da cidade. Vamos ter visitantes fora de Castelo Branco, que chegam aqui à Feira Medieval e aproveitam para visitar também aquilo que são os nossos museus e os nossos atrativos”, disse.

Sérgio Bento, presidente da Associação Comercial e Empresarial da Beira Baixa (ACICB), mostrou-se convicto que os “Dias Templários” tem ganho cada vez mais importância na agenda mediática da cidade.

“Os Dias Templários começam a ser uma marca de Castelo Branco, já ocorrem há muitos anos, e a convicção que temos é que tem melhorado de ano para ano”, referiu, explicando que a organização tenta melhorar todos os anos.

“Não temos grande margem de manobra, vamos trabalhando nas pessoas e nas decorações, mas há dois aspetos muito importantes: o pedagógico – a questão dos templários – e o aspeto comercial – trazer os nossos comerciantes a mostrar os seus produtos e também criar aqui uma dinâmica com as pessoas. É isso que queremos, trazer pessoas”, concluiu.

A Feira Medieval, à semelhança dos anos anteriores, contou com cerca de 70 expositores.



Última edição