Castelo Novo recebe Festival de Música Antiga
Fundão
2018-07-11 11:30:51
Povo da Beira

O Município do Fundão, em parceria com a Junta de Freguesia de Castelo Novo, irá organizar, de 22 a 29 de julho, o VI Festival de Música Antiga de Castelo Novo, que irá juntar vários eventos, que abarcam atividades turísticas, teatro, ensino e concertos.

Como evento central do Festival irá realizar-se o Campo de Verão de Castelo Novo, onde se irão desenvolver duas atividades distintas: Early Music Summer Camp – Curso de Iniciação à Música Antiga e um projeto de criação artística denominada A Grande Batalha da Gardunha, concebido por Nuno Pino Custódio a partir do imaginário de Castelo Novo. Estas atividades irão desenrolar-se ao longo de toda a semana.

No Early Music Summer Camp, os participantes irão trabalhar, como referido, num curso de iniciação à música antiga, coordenado pelas professoras Helena Raposo e Ana Figueiras, alaudista e flautista respetivamente. Ao mesmo tempo que fazem esta iniciação à música antiga, os participantes poderão usufruir dos espaços naturais desta Aldeia Histórica. O culminar desta atividade será um concerto, a realizar no sábado, dia 28 de julho, às 15 horas, na Igreja da Misericórdia de Castelo Novo, em que será apresentado o trabalho desenvolvido durante a semana.

O projeto de criação artística, sob o título “A Grande Batalha da Gardunha”, da autoria de Nuno Pino Custódio, irá reunir diversas manifestações artísticas, tendo como base o teatro e a música. O tema central do espetáculo irá girar em torno do fenómeno OVNI, assunto há muito tempo conotado com a região e em particular com a Serra da Gardunha, inspirando-se na célebre descrição de uma presumível batalha ocorrida nos céus de Nuremberga, no ano de 1561, imortalizada pelos textos e gravuras de Hans Glaser, que na época surgiram numa publicação dessa cidade alemã. O resultado será apresentado no sábado, dia 28 de julho, às 22 horas, no Largo da Bica.

Nos restantes concertos do Festival deste ano, os instrumentos de cordas dedilhadas terão papel determinante. Na sexta-feira, dia 27 de julho, às 22 horas, na Igreja Matriz de Castelo Novo, irá decorrer um concerto intitulado “Amor Fati – The Love of one’s Fate”, com a soprano grega Evmorfia Metaxaki, que será acompanhada por Helena Raposo, intérprete em teorba e guitarra barroca. Apresentarão peças do período barroco para voz e Baixo Contínuo, que retratam os múltiplos aspetos do amor humano.

No sábado, dia 28 de julho, às 17h30, na Igreja Matriz de Castelo Novo, irá ter lugar um concerto campestre intitulado “Canto Arpeggiato”, com peças do século XVII para voz e Baixo Contínuo, tendo com intérprete Ricardo Pedro Leitão, que tal como Orfeu, irá cantar as peças, fazendo-se acompanhar por uma teorba ou por uma guitarra barroca.

A gastronomia tem um papel relevante no Festival, por isso, além do Eco Mercado “Bio Eco”, que estará presente na Aldeia Histórica no decorrer do fim-de-semana, serão vários os momentos gastronómicos ao longo do evento.

No domingo, dia 29 de julho, às 16 horas, a encerrar o Festival de Música Antiga de Castelo Novo, irá estar presente Pedro Caldeira Cabral, músico que no ano passado comemorou 50 anos de carreira. Será intérprete na Guitarra Portuguesa, mas afastando-se do Fado, onde o instrumento é maioritariamente utilizado, irá abordar um repertório variado, que se estende do século XVI ao século XX. A subtileza e a expressividade necessárias à interpretação desse vasto repertório levaram recentemente Pedro Caldeira Cabral a “renomear” o seu instrumento de eleição para Citara Portuguesa.

As particularidades de Castelo Novo tornam esta Aldeia Histórica num local fascinante, pela aura de misticismo e transcendência que emana e que está muito presente nas sonoridades do passado que se pretendem dar a conhecer.



Última edição