Autarquia visitou local dos trabalhos de limpeza do Tejo
Vila Velha de Ródão
2018-07-28 11:28:54
Povo da Beira

O local onde estão a ser depositados os resíduos provenientes dos trabalhos de limpeza do rio Tejo, a denominada Barroca da Senhora, foi alvo de uma visita de trabalho esta quinta-feira, 26 de julho, pelas 11h15.

A visita contou com a presença do presidente da Câmara Municipal de Vila Velha de Ródão, Luís Pereira, do presidente da Assembleia Municipal, António Carmona Mendes, dos restantes órgãos autárquicos e ainda do Presidente da EPAL – Empresa Portuguesa de Águas Livres, José Sardinha que deu a conhecer a todos os presentes a evolução muito favorável dos trabalhos.

Os trabalhos de limpeza dos fundos do rio Tejo, a denominada «Operação Tejo 2018», tiveram início em junho e visam a remoção e desidratação das lamas do rio, na zona envolvente ao emissário submarino de Vila Velha de Ródão e no cais do Arneiro. Sendo anunciado nesta visita que os trabalhos de remoção de lamas vão ficar concluídos dentro de uma semana.

Até ao momento foram já retirados 75 mil metros cúbicos de matéria orgânica.

Segundo o presidente da Câmara Municipal de Vila Velha de Ródão, Luís Pereira, a visita ao local pretende “reforçar a informação sobre este processo, no âmbito da transparência que tem sido implementada, colocando Vila Velha de Ródão na agenda com um Tejo limpo, um Tejo vivo conjugando as questões ambientais com toda a dinâmica económica do concelho”.

Por sua vez o presidente da Assembleia Municipal, António Carmona Mendes referiu que sendo esta ação uma “competência do Ministério do Ambiente é importante a tomada de conhecimento da evolução dos trabalhos, por parte de todos os membros da assembleia municipal” destacando a organização de todas as entidades envolvidas, em particular da Câmara Municipal, na pessoa do seu presidente, Luís Pereira que sempre pugnou por uma solução célere e correta para “ o bom desenvolvimento deste processo”.  

Esta ação visa minimizar os impactes que a movimentação das lamas pode ter na qualidade da água, por esse motivo o Ministério do Ambiente determinou que as lamas removidas do leito do Tejo fossem temporariamente acondicionadas num terreno, cuja ocupação será temporária e «limitar-se-á ao período estritamente necessário à execução dos trabalhos (e que nunca será superior a um ano)», conforme comunicou aquele órgão.Ainda de acordo com o Ministério do Ambiente, o solo onde são depositadas as lamas será «devidamente revestido de uma tela impermeabilizante» que impedirá qualquer contacto desses resíduos com o solo.

A visita de trabalho promovida pelo município de Vila Velha de Ródão em conjugação com a Assembleia Municipal pretendeu dar a conhecer a todos a evolução deste processo mostrando que sempre foi uma preocupação resolver o problema, encontrando boas soluções, o que ficou evidenciado na visita da passada quinta-feira.



Última edição