Arnaldo Martins sagra-se campeão nacional nos quads; Franco e Buhler vencem nas respetivas categorias
Desporto
2018-09-09 11:35:07
Povo da Beira

A Baja TT de Idanha-a-Nova realizou-se no passados dias 7 e 8 de setembro, sexta-feira e sábado, tendo consagrado Arnaldo Martins campeão nacional nos quads. Sebastian Bühler venceu em motos e Mário Franco conquistou a vitória nos SSV.

O segundo dia da Baja TT Idanha-a-Nova destinou 234,75 quilómetros (SS2) cronometrados aos pilotos de motos, quads e SSV, com passagem pelas regiões de Loreto, Penamacor, Zebreira, Rosmaninhal, Toulica e Monfortinho.

Nos quads, Arnaldo Martins iniciou este dia decisivo na frente, com a vantagem de 17,55 segundos, conseguida no dia anterior sobre o segundo classificado, Fernando Cardoso.

Para este sábado, e com 234,75 quilómetros a disputar, o piloto, em Suzuki LTR 450, não baixou o ritmo, e apesar de a liderança virtual do SS2 ter alternado entre Arnaldo Martins, Joni Fonseca e Filipe Martins, o comando da geral nunca esteve em causa.

No final do SS2 o tempo mais rápido pertencia ao piloto da Suzuki, seguido das Yamaha YFZ 450 de Filipe Martins e Joni Fonseca, a 2m01s e 2m27s, respetivamente. Com este resultado na Baja TT Idanha-a-Nova, Arnaldo Martins sagrou-se Campeão Nacional TT Open de 2018 nos quads, renovando o título alcançado no último ano.

 “A prova correu bem mas o percurso estava um bocadinho duro. Fiquei sem travão de trás a partir do quilómetro 30 e fiz a corrida toda nessas condições, por isso não podia arriscar muito. Pelo meio também apanhei pó de pilotos das motos de duas rodas. Tirando isso foi gerir para chegar ao fim e vencer”, explicou o já campeão nacional Arnaldo Martins.

Nas duas rodas, Sebastian Bühler veio mostrar que o facto de não estar a discutir o título não era desmotivador, numa prova que marcou o seu regresso ao campeonato nacional após ausência por lesão. O piloto da Yamaha WR 450 F tinha sido o mais rápido no Prólogo e SS1 disputados na sexta-feira, dia 7.

Este sábado manteve a toada competitiva e nunca baixou o ritmo. Andamento que lhe permitiu vencer o SS2 e confirmar a vitória, na geral e classe TT2, num evento em que liderou de princípio ao fim. O piloto da Yamaha concluiu a Baja TT Idanha-a-Nova com uma vantagem de 10 minutos 17 segundos sobre António Maio, em Yamaha WR, que adotou uma ritmo de gestão, a pensar nas contas do campeonato, que lidera: “Faltam-me dois pontos para ser campeão”. Mário Patrão, em KTM 500 EXC fechou o pódio, a 11 minutos 43 segundos do vencedor.

 “A prova correu bem, sem percalços. A moto esteve perfeita, o tempo também ajudou porque caiu chuva durante a noite por isso o terreno ficou mais mole e o pneu aguentou. Também me senti bem fisicamente, estava pronto para outra”, brincou Bühler.

Os SSV conheceram a prova mais emotiva, com constantes trocas de líderes e imprevisibilidade quanto ao vencedor até ao fim. No primeiro dia, a vitória no Prólogo coube a João Dias, com Mário Franco a fazer igual façanha no SS1, resultado que lhe permitiu assumir o comando da Baja TT Idanha-a-Nova. No entanto, uma penalização de dois minutos, por ter ultrapassado o limite de velocidade na zona de assistência, deixou um amargo na boca do piloto, ao fazê-lo descer de primeiro para oitavo da geral.

Durante o decorrer do SS2 pela liderança da geral virtual passaram Ricardo Domingues, João Monteiro e Mário Franco, e foi mesmo a este último que ficou entregue a vitória. Uma grande prova de Franco, que superou a penalização de dois minutos e levou o seu Yamaha YXZ 1000 R ao triunfo, na geral e classe T2, com 1m01s de vantagem sobre o Can-Am Maverick X3 XRS de Ruben Faria, segundo classificado e melhor entre os pilotos da classe T1. O pódio ficou completo com Luís Cidade, também em Can-Am.

“Ontem correu-nos tudo bem, mas um pequeno erro na ZA levou-nos a ser penalizados em 2m. Como é que se recupera? É andar e divertir-me ao máximo a fazer a corrida. Com um carro extremamente difícil de guiar comparado com os meus adversários, porque não tem turbo, é uma classe inferior, com 50% a 60% de potência a menos, ganhar aqui é ouro sobre azul”, explicou Mário Franco.

 A Baja TT Idanha-a-Nova voltou assim a ser um palco de excelência para os pilotos, com a Escuderia Castelo Branco a colocar novamente de pé um evento muito acarinhado por público e participantes, com a Beira Baixa como pano de fundo.



Última edição