Visão do Padre Manuel Antunes leva à realização de Congresso Internacional
Sertã
2018-10-05 10:51:15
Povo da Beira

Edgar Morin, Pierre Antoine Fabre, Eduardo Lourenço, Adriano Moreira, Guilherme d’Oliveira Martins, José Pacheco Pereira, Lídia Jorge, Frei Bento Domingues, Jean- Gabriel Ganascia, Nélida Pinõn ou Rui Tavares.

Estes são alguns dos nomes já confirmados para o Congresso Internacional “Repensar Portugal, a Europa e a Globalização – 100 Anos Padre Manuel Antunes”, que decorre entre os próximos dias 2 e 6 de novembro, em Lisboa e na Sertã.

Este congresso, inserido nas comemorações do primeiro centenário do nascimento do Padre Manuel Antunes, é uma organização conjunta da Câmara Municipal da Sertã, Fundação Calouste Gulbenkian e CLEPUL – Centro de Literaturas e Culturas Lusófonas e Europeias da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa e conta com o alto patrocínio da Presidência da República.

“Depois de realizado um primeiro congresso, em 2005, sobre a vida e a obra do Padre Manuel Antunes e concluída a preparação da sua Obra Completa, publicada em 2012, é, com efeito, de toda a pertinência assinalar os 100 anos do nascimento desta figura maior do pensamento avançado em Portugal, com um evento científico internacional, para, tendo como referência os grandes tópicos da reflexão antunesiana, pensar os grandes temas e problemas do nosso país, em articulação com as grandes questões da Europa e do mundo globalizado em que vivemos”, sublinhou José Eduardo Franco, da Comissão Organizadora do congresso.

O presidente da Câmara Municipal da Sertã, José Farinha Nunes, acredita que este congresso será “um importante momento de reflexão, onde as várias dimensões da obra do Padre Manuel Antunes serão confrontadas com a realidade atual, procurando, assim, novas leituras para temas que estão hoje na agenda”.

Além disso, procurar-se-á “pensar a educação em Portugal e os desafios que a integração europeia e a globalização colocam, no quadro do esforço de adequação de conteúdos e de métodos, aos desafios da mentalidade e das sociedades tecnológicas hodiernas”, notou José Eduardo Franco, acrescentando que este congresso contribuirá para “pensar o mundo, a vida e os anseios psicológicos, mentais e espirituais da humanidade nos nossos dias, desafiada pelo cuidado da natureza, pela necessidade de lidar com os progressos tecnocientíficos e pela emergência das sociedades digitais, nas quais a hiperinformação se tornou um capital decisivo”.

O congresso terá início no dia 2 de novembro com uma sessão solene na sala do Senado da Assembleia da República, em Lisboa, onde Edgar Morin e outros convidados farão alocuções sobre a vida e obra do Padre Manuel Antunes.

Nos dias 3 e 4 de novembro, o congresso terá lugar na Sertã, vila onde nasceu há precisamente 100 anos o Padre Manuel Antunes.

Além de um vasto programa social, estão previstas diversas sessões temáticas, que contarão com a presença de vários oradores portugueses e estrangeiros.

A Fundação Calouste Gulbenkian será depois o palco do congresso nos dias 5 e 6 de novembro, decorrendo em diferentes auditórios um conjunto de painéis temáticos, que contarão com a presença de quase uma centena de conferencistas.

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, marcará presença na sessão de encerramento deste congresso, no dia 6 de novembro.

Segundo a Comissão Organizadora, este congresso será creditado como ação de formação para professores. As inscrições para quem quiser assistir estão a decorrer neste momento.



Última edição