Sertanense deu boa réplica, mas Benfica venceu
Desporto
2018-10-24 03:10:45
Povo da Beira

O Sertanense perdeu (0x3) com o Sport Lisboa e Benfica, em jogo a contar para a 3.ª eliminatória da Taça de Portugal e disse assim adeus à prova. Numa partida, em que os sertaginenses não se limitaram a defender, o adversário, com mais qualidade, acabou por demonstrar o elevado favoritismo.

O sorteio da 3.ª eliminatória da Taça de Portugal ditou que o Sertanense recebesse o Sport Lisboa e Benfica. A festa da Taça estava de regresso ao interior do país e a uma vila que está habituada a esse tipo de jogos – nos últimos dez anos, o Sertanense recebeu o FC Porto, por duas ocasiões, na prova rainha do futebol português.

O relvado do Campo de Dr. Marques dos Santos, contudo, “traiu” os sertaginenses. A Federação Portuguesa de Futebol (FPF) interditou o campo, por falta de condições do relvado, e a partida teve de mudar para o estádio Cidade de Coimbra.

O conjunto da Sertã entrou com vontade de discutir a partida e a posse de bola, mas o primeiro aviso surgiu por parte do Benfica. Rafa rematou, o guarda-redes defendeu para a frente e Jonas atirou para o fundo das redes, mas estava em fora-de-jogo.

O Sertanense apresentava-se no campo inteiro e, apesar de não criar situações de perigo, estava a reagir bem às segundas bolas.

Rafa teve uma grande oportunidade nos pés para inaugurar o marcador. Yuri Ribeiro e Zivkovic combinaram bem na esquerda, o primeiro colocou na área e o camisola 27 rematou forte, com a bola a passar muito perto da baliza.

Nos últimos quinze minutos da partida, os “encarnados” aceleraram e, com naturalidade, causaram mais perigo. Zivkovic e Jonas tiveram boas oportunidades para marcar.

O golo acabou por aparecer ainda antes do intervalo. Zivkovic rematou para defesa incompleta do guardião e, na recarga, Rafa foi mais rápido que todos e encostou para o fundo da baliza.

A vantagem mínima do Benfica ao intervalo era justa. Apesar de um ritmo médio-baixo, o resultado espelhava a superioridade dos pupilos de Rui Vitória.

Para a segunda parte, o treinador do Benfica fez uma alteração, mudando a estratégia. Ferreyra entrou para o lugar de Gabriel, voltando ao 4x4x2, com o avançado argentino e Jonas a fazerem dupla na frente.

A vantagem foi dilatada logo nos primeiros minutos da segunda metade, num grande momento de inspiração de Gedson. O médio, com um grande remate fora da área, colocou a bola no ângulo superior da baliza e colocou a sua equipa mais confortável no encontro. Um golaço!

A melhor oportunidade do Sertanense em todo o jogo aconteceu dos pés de Hugo Barbosa. O médio rematou em jeito, mas Svilar mostrou-se atento e defendeu para canto.

Jonas regressou à titularidade e aos golos. O avançado brasileiro, com uma boa rotação e um remate rasteiro, fez o terceiro tento da partida e, cinco meses depois, voltou a registar o seu nome na lista de marcadores de um jogo.

Destaque para a estreia absoluta de Jota na equipa principal do Benfica. O jovem entrou, a cerca de dez minutos do apito final, para o lugar de Jonas.

Até final, o Benfica soube gerir o resultado e até podia ter aumentado a vantagem. A vitória não merece contestação, num encontro que os pupilos de Rui Vitória não tiveram de “puxar dos galões” para superar.

O Sertanense, apesar da derrota, mostrou-se a um bom nível, conseguindo muitas vezes sair a jogar na primeira parte. Na segunda metade, fruto da maior pressão do adversário e de algum desgaste físico, a prestação não foi tão boa.

FICHA DE JOGO

Estádio Cidade Coimbra

Árbitro: Manuel Oliveira

Assistentes: Pedro Ribeiro e Tiago Leandro

Quarto Árbitro: João Pinheiro

SERTANENSE: Rafa Santos, Tito Júnior (C), Tiago Correia, Rojas, Bruno; Kevin, Hugo Barbosa (Vladimir 84’), Batista; Davou, Pereirinha (Luís Dias 58’), Ricardo Pires (Sócrates 69’)

Treinador: João Manuel Pinto

Suplentes não utilizados: Dani, Cláudio Silva, Filipe Mello, João Jesus

SL BENFICA: Svilar; Corchia, Alfa Semedo, Rúben Dias e Yuri Ribeiro; Samaris, Gabriel (Ferreyra 45’) e Gedson; Zivkovic, Rafa (João Félix 67’) e Jonas (Jota 77’).

Treinador: Rui Vitória

Suplentes não utilizados: Bruno Varela, André Almeida, Pizzi, Seferovic

GOLOS: Rafa (35’), Gedson (53’), Jonas (68’)

Disciplina: Hugo Barbosa (45’), Ruben Dias (47’), Bruno (55’)

João Manuel Pinto, treinador do Sertanense:

“Orgulhoso dos jogadores. Disse para desfrutarem e aproveitarem o momento, frente a uma belíssima equipa. Fizemos tudo para impedir e retardar o golo do Benfica, mas sabíamos as dificuldades e não iriamos conseguir pensar pela pressão do adversário. Estou muito satisfeito por eles. Disse para eles acreditarem e serem solidários e foi isso que fizeram. Saio orgulhoso porque fizeram tudo e tentámos marcar um golo, algo que seria inédito. O que foi pedido, foi feito”.

Rui Vitória, treinador do SL Benfica:

“Sabíamos que somos melhores e que, com estas escolhas, temos valor para ganhar o jogo. Os jogadores que jogaram hoje são internacionais e podem disputar qualquer contexto competitivo, aqui ou na Liga dos Campeões. Os jogadores sabiam o que tinham de fazer e, por vezes, estes jogos complicam-se, as equipas fecham-se, mas com o primeiro golo, há um desbloqueio. Na segunda parte, procurámos mais remates de fora e ganhamos naturalmente. Mas ganhámos mais, porque ganhámos um Yuri, que jogou há 48 horas e teve hoje dinâmica muito boa, o Corchia, o Jonas e Ferreyra. E acabámos com seis jogadores da formação e com Alfa Semedo a central. Há uma série de pontos muito positivos”.



Última edição