Casa Padre António de Andrade com trabalhos arquelógicos
Oleiros
2018-10-26 03:42:12
Povo da Beira

A área de construção da Casa Padre António de Andrade sofreu trabalhos arqueológicos, mais precisamente junto à zona de construção do muro. Nesta área foram identificadas e intervencionadas 24 sepulturas escavadas na rocha.

As sepulturas apresentavam uma forma antropomórfica, ou seja, representando a forma humana.

O resultado preliminar pode adiantar que a maioria dos enterramentos encontrava-se em decúbito dorsal e com os membros superiores cruzados na zona pélvica, seguindo aparentemente o ritual cristão.

No que respeita ao espólio arqueológico, salienta-se a recolha de 12 numismas (moeda cunhada), parte deles associados a restos osteológicos humanos, assim como um pendente em seixo de rio perfurado.

Foi ainda identificada uma estela (coluna monolítica) de morfologia retangular com uma cruz insculturada talhada em pedra recolhida no topo de uma das sepulturas e uma outra, mais tosca e sem qualquer gravação, que foi colocada a marcar o limite da sepultura, junto aos pés da inumação.

A partir do estudo preliminar dos materiais arqueológicos e da tipologia das sepulturas é desde já possível atribuí-las ao período medieval.

No entanto, uma datação mais precisa estará dependente do estudo mais aprofundado do espólio, nomeadamente das moedas, que ainda necessitam de ser limpas e restauradas em laboratório específico da área.

Após a conclusão dos trabalhos de escavação arqueológico e de registo fotográfico e gráfico, toda a área das sepulturas foi coberta com geotêxtil, colocado de forma a revesti-las de forma a minimizar os impactos da futura construção do muro através da deposição de um nível de aterro, garantindo a preservação dos contextos arqueológicos escavados.

Com esta intervenção arqueológica foi possível abrir uma janela para conhecer melhor o passado de Oleiros, nomeadamente para o seu período medieval. Através do estudo dos elementos recolhidos é agora possível aproveitar todo o manancial informativo para ficar a saber mais sobre os habitantes desta vila na longínqua Idade Média.



Última edição