Jogo cauteloso termina em empate
Desporto
2019-02-06 11:22:24
Povo da Beira

O Vale do Romeiro, em Castelo Branco, recebia o jogo grande da 20.ª jornada da Série C do Campeonato de Portugal, entre o Benfica local e o Sintrense.

As duas equipas – separadas por dois pontos, com vantagem para os albicastrenses – estão em 2.º e 4.º lugar, respetivamente, lutando por uma vaga no play-off da fase de subida.

O primeiro sinal de perigo surgiu para os visitantes. Na sequência de um pontapé de canto, Leonel Alves rematou, à entrada da área, rasteiro, mas André Caio agarrou sem problemas.

Os locais, com o passar dos minutos, começaram a ter mais controlo da partida, mas não criavam verdadeiro perigo perto das redes contrárias.

O Sintrense mantinha sempre a organização defensiva e aproveitava os muitos passes falhados do adversário em zona avançada.

Os pupilos de Sérgio Gaminha só deram algum trabalho a Rodolfo Barata num livre frontal de Zézinho, que o guarda-redes defendeu sem dificuldades.

O lateral esquerdo albicastrense, a cinco minutos do intervalo, criou muito perigo na sequência de um livre, com a bola “a tirar pinta” ao poste da baliza.

Os forasteiros, com um remate forte de Parreira, também fizeram o esférico passar muito perto das redes contrárias.

Numa primeira parte com tão poucas situações de finalização, com naturalidade, o intervalo chegou com um empate sem golos.

Os primeiros minutos da segunda parte mostraram um futebol muito confuso, com muita luta e pouca clareza junto das balizas.

Nesse contexto, Sérgio Gaminha operou uma dupla substituição, fazendo entrar Dani Rodriguez e Jordão.

O conjunto lisboeta, no entanto, foi o primeiro a causar perigo na segunda metade. Issouf atrasou com pouca força, Didi aproveitou, mas o guardião albicastrense saiu dos postes e resolveu a situação.

A turma de Castelo Branco tinha mais posse de bola, jogava mais tempo no meio-campo contrário, mas não dava trabalho a Rodolfo Barata. Uma segunda parte muito calma para os dois guarda-redes.

As duas equipas, com o receio de perder pontos, foram muito cautelosas e, até final, não arriscaram o suficiente para fazer mexer o marcador.

O Benfica e Castelo Branco, apesar da igualdade, mantém o 2.º lugar, com 39 pontos, estando agora a três pontos do líder, União de Leiria, e com mais um ponto que o 3.º classificado, Anadia.

Os albicastrenses, na próxima jornada, defrontam o Caldas, fora de casa.

FICHA DE JOGO

Estádio: Vale do Romeiro

Árbitro: Anzhony Rodrigues

BENFICA E CASTELO BRANCO: André Caio, André Cunha (Dani Rodriguez 56’), Diogo Costa, Pedro Eira, Babia, Zézinho, Aílson (Jordão 56’), Silla, Rafa Pinto (Sani 77’), João Vasco, Rodrigo Thompson

Treinador: Sérgio Gaminha

Suplentes não utilizados: Gonçalo Nunes, Francisco Caetano, Pedro Almeida, Ruben Machado

SINTRENSE: Rodolfo, Michel, Serginho, Kiki Ballack, Fábio Pala, Hugo Pina, Diogo Pires, Bob (Hao Gao 83’), Parreira (Adrian 75’), Didi (Pipas 60’), Leonel Alves

Treinador: Tiago Zorro

Suplentes não utilizados: Tiago Pereira, Osório, Yaka Medina, Assis

Disciplina: Bob (37’), Fábio Pala (38’), Rafa Pinto (67’)

Sérgio Gaminha, treinador do Benfica e Castelo Branco:

“Foi uma partida pobre do ponto de vista técnico. Este era um jogo, à semelhança dos jogos contra o Vilafranquense e o Leiria, em que o nosso adversário nos poderia ultrapassar em caso de vitória. Fomos superiores ao adversário, o Sintrense entrou melhor e depois pegámos no jogo. Tentámos impor um ritmo alto, perante um adversário que queria jogar em ritmo baixo. Criámos situações de perigo pelos corredores laterais e fomos superiores. Na segunda parte, não tivemos arte nem talento para conseguir fazer o golo. Não me recordo de um remate à baliza do Sintrense, apenas um atraso curto do Issouf. O Sintrense ficou satisfeito com o resultado. Nós não estamos totalmente satisfeitos, nem insatisfeitos”.



Última edição