Sertanense garante presença na final
Desporto
2019-08-07 10:31:43
Lourenço Martins de Carvalho

O estádio municipal de Oleiros recebeu no último sábado, dia 3, a primeira meia-final da Taça de Honra da Associação de Futebol de Castelo Branco, entre a ARC Oleiros e o Sertanense.

Num jogo típico de pré-temporada, o primeiro grande apontamento apareceu para a turma da Sertã. Na sequência de um livre direto, o experiente Bruno Torres atirou com estrondo à barra da baliza, com Pedro Dias já batido.

Os primeiros minutos mostraram duas equipas diferentes. Os oleirenses aparentavam estar mais entrosados, com as combinações entre jogadores a fluírem com maior facilidade.

Para isso muito contribui a continuidade de alguns atletas – André Farinha, Fábio Gaião, Jimmy, Michael.

O Sertanense demonstrava maiores dificuldades em assumir o jogo e no entrosamento dos jogadores, mas realçava uma agressividade positiva. Os lances eram disputados determinação – dentro das leis – e condicionava muito o jogo do adversário.

Os dois conjuntos regressaram do intervalo praticamente com os mesmos jogadores, sendo a única alteração para o lado da equipa da casa. Na baliza saiu Pedro Dias e entrou Nobert.

O perigo voltou às balizas já na segunda parte. Duvan Guerra surgiu na cara do guarda-redes contrário, mas Pedro Simões respondeu com uma boa defesa e manteve o nulo no marcador.

O Sertanense, na segunda metade, conseguiu ter mais bola e fez algumas boas jogadas de entendimento, principalmente nas laterais.

O nulo persistiu até ao apito final e foi preciso recorrer às grandes penalidades para decidir o primeiro finalista da Taça de Honra. Na marca dos onze metros, foi preciso chegar aos guarda-redes apurar o vencedor.

Após 22 penáltis, Fábio Gaião, Michael e o guardião Nobert falharam para a ARC Oleiros, enquanto para o Sertanense desperdiçaram apenas Diogo Marques e Outtara, com a grande penalidade decisiva a ser convertida pelo guarda-redes Pedro Simões.

Destaques ARC Oleiros:

Flavinho – Um dos reforços para a nova temporada deu bons pormenores e mostrou vontade de assumir o jogo. Apesar da qualidade e técnica evidenciada, o brasileiro, em certas jogadas, “agarrou-se” muito ao esférico, demorando muito a libertá-lo.

Fábio Gaião – O central, que já atuou na ARCO na última época, foi uma das novidades da partida. O clube anunciou, umas horas antes do encontro, a renovação do defesa, sendo logo titular na partida.

Samir – A ARCO jogou num sistema de três centrais, como é habitual, e Samir atuou no meio. O jovem encaixou bem com os companheiros de setor e mostrou boa elevação e posicionamento. A sua velocidade permitiu que muitas vezes fizesse dobras aos colegas.

Destaques Sertanense:

Bruno Torres – O reforço da turma da Sertã era o jogador mais experiente em campo e isso ficou bem evidente. Com a braçadeira de capitão no braço, o médio foi o patrão do meio-campo do Sertanense, pautando o ritmo de jogo com pormenores de grande qualidade. Além de ser a voz de comando dentro de campo, Bruno Torres é também um perigo nas bolas paradas.

Salinas – O brasileiro foi dos poucos jogadores que se manteve da última época – a par do Tito Júnior – e demonstrou o que já se conhecia dele. Perigoso com a bola nos pés, aproveitou a técnica e a velocidade para desequilibrar. Apagou-se um pouco na segunda parte.

Brash – O médio, da Guiné-Bissau, encheu o meio-campo do conjunto da Sertã – juntamente com Bruno Torres - oferecendo muito pulmão à equipa. A capacidade de trabalho e a rapidez fazem com que seja um elemento importante no momento defensivo e ofensivo.

FICHA DE JOGO

ARC Oleiros: Pedro Dias, André Farinha, Diogo Mansilha, Samir, Fábio Gaião, Quiame, Jimmy, Michael, Flávio, Duvan Guerra, Diego

Jogaram ainda: Nobert, Valdo, Guilherme, Adriel, Faula, Iago, Rogério

Sertanense: Pedro Simões, Ariano Sanches, Diogo Marques, Duarte Coelho, Ricardo Fernandes, Sana Gomes, Brash, Bruno Torres, Salinas, Outtara, Igor Gomes

Jogaram ainda: Ká Semedo, Marquinhos, Tito Júnior, Álvaro Milhazes

Árbitro: Paulo Afonso



Última edição