PS vence no distrito de Castelo Branco e elege três deputados
Castelo Branco
2019-10-09 10:29:26
Povo da Beira

O Partido Socialista venceu no distrito de Castelo Branco, com 40,9%, 38 302 votos, elegendo assim três deputados para a Assembleia da República. O outro deputado, eleito pelo círculo eleitoral de Castelo Branco, pertence ao Partido Social Democrata (PSD).

Hortense Martins, que segue para a quinta legislatura na Assembleia da República, Eurico Brilhante Dias, que em 2015 também já tinha sido eleito pelo círculo de Castelo Branco e que acabou por ser chamado a exercer funções de secretário de Estado da Internacionalização, e Nuno Fazenda, dirigente de Administração Pública, são os deputados eleitos pelo PS.

Do lado do PSD, a cabeça de lista Cláudia André, professora e vereadora na Câmara da Sertã, substitui Manuel Frexes e Álvaro Batista, e é a única deputada eleita pelos sociais-democratas.

Depois de apuradas as 120 freguesias do círculo de Castelo Branco, verifica-se que o PS teve uma vitória clara em que reforçou a votação - há quatro anos teve 38,86% - e conquistou mais um deputado do que nas eleições legislativas de 2015.

Em 2009, o distrito passou a eleger apenas quatro deputados e, desde então, PS e PSD tinham conquistado sempre o mesmo número de mandatos (dois cada um), mas nestas eleições o PSD teve apenas 26,33% dos votos e perdeu um deputado. Há quatro anos, a coligação PSD/CDS-PP tinha obtido 35,31%.

No mapa eleitoral, o PS também vence na maioria dos concelhos, oito em 11 - Castelo Branco, Vila Velha de Ródão, Proença-a-Nova, Fundão, Covilhã, Belmonte, Penamacor, Idanha-a-Nova - perdendo apenas na Sertã, Vila de Rei e Oleiros para o PSD.

Nestes resultados, destacam-se dois concelhos. O Fundão foi o único concelho liderado pelo PSD onde este partido não venceu e Proença-a-Nova, em que o PS nunca tinha vencido em eleições legislativas.

Num círculo com pouco mais de 170 mil eleitores inscritos e em que se apresentaram a votos 18 forças partidárias, só PS e PSD conseguiram eleger e apenas o BE ficou acima dos dois dígitos, com 11,05%, garantindo assim o terceiro lugar que tinha conquistado em 2015.

O PCP-PEV passou de 6,03% para 4,75% e o CDS, que em 2015 tinha concorrido coligado com o PSD, ficou com 3,71% dos votos.

O PAN subiu no número de votos, com 2,38%, contra os 0,83% que tinha obtido em 2015.

O nível de abstenção ficou nos 44,91%, subindo 2,37% em relação a 2015 (42,54%).

O distrito de Castelo Branco, no interior do país, continua a debater-se com a perda de população, mas, apesar de registar menos 11.226 inscritos do que nas legislativas de 2015, manteve a eleição de quatro deputados.



Última edição