Penamacor vai trabalhar na criação de um Centro de Estudos Transfronteiriços
Penamacor
2019-10-30 10:12:16
Povo da Beira

O Presidente da Câmara Municipal de Penamacor deixou a garantia que o Município vai começar a trabalhar para que seja criado um Centro de Estudos Transfronteiriços.

Para António Luís Beites, é tempo de “repensarmos a cooperação transfronteiriça pois muito foi feito, mas foi perdido muito do ritmo e das redes estabelecidas nos inícios do século XXI”.

“Vamos criar em Penamacor uma unidade de investigação vocacionada para o estudo, atualização do conhecimento e entendimento das problemáticas destes territórios da raia central. Trabalharemos numa perspetiva interdisciplinar e numa geografia emocional de proximidade raiana mas que será sempre aberta ao mundo contemporâneo. A fronteira continua a ser presença nos nossos quotidianos e creio ser muito importante pensar o que significam as fronteiras a partir de uma milenar fronteira da história de Portugal como a nossa de Penamacor. O centro será um fórum de junção de saberes e contamos já o apoio de um amplo grupo investigadores oriundo dos maiores centros do saber e universidades de Espanha e de Portugal”, esclareceu.

O autarca falava durante o II Colóquio de Arqueologia e História do Concelho de Penamacor – 40 anos depois – Ciências, Territórios e Saberes em Mudança, que se realizou em Penamacor, de 25 a 27 de outubro.

O encontro contou com mais de 30 comunicações que contribuíram para um salto qualitativo no conhecimento do património e história do território raiano.

O primeiro dia foi dedicado à Memória do Primeiro Colóquio, no qual, além destas homenagens, se realizaram também comunicações com o tema “Fronteira, Património, Desenvolvimento e Futuros”.

No segundo dia, decorreram três painéis, sendo que o primeiro se dedicou ao “Território Malcata-Gata, entre a Pré-História e o Domínio Romano”, o segundo dedicado aos “Tempos de Guerra e de Paz na Fronteira Penamacor Extremadura do Século XII ao Século XX” e um terceiro que visou os “Patrimónios Materiais e Imateriais da Raia Luso-Extremenha”.

Já no último dia, desenrolaram-se diversas visitas guiadas ao património histórico e arqueológico da região, com paragens no Convento de Santo António de Penamacor, Bemposta e Salvaleón.

Na sessão de encerramento, ficou a promessa do Presidente da Câmara Municipal de Penamacor de que não serão necessários mais 40 anos para a realização do terceiro colóquio.

O autarca disse esperar que dentro de quatro anos se realize nova edição do evento, elogiando o trabalho histórico e científico produzido neste segundo colóquio.



Última edição