Presidente da Câmara de Proença-a-Nova defende Rede dos Territórios Resineiros
Proença-a-Nova
2019-11-08 10:17:17
Povo da Beira

O presidente da Câmara Municipal de Proença-a-Nova, João Lobo, defendeu esta terça-feira, 5 de novembro, a Rede Europeia dos Territórios Resineiros (RETR), apelando à união dos agentes do setor resineiro.

“É fundamental que os agentes do setor resineiro do sul da Europa e instituições públicas de Portugal, França e Espanha se consigam unir e falar a uma só voz para defender os interesses desta atividade que trará impactos muito positivos para o desenvolvimento económico das regiões”, referiu o autarca.

João Lobo deu o exemplo do concelho proencense, não só ao nível da importância que esta atividade já teve no passado, mas também do impacto que teria no território se fosse reativada, “incluindo as vantagens associadas a uma presença regular na floresta ao nível da vigilância contra os incêndios florestais e à sua gestão”.

O edil falava durante a realização das jornadas “Aproveitamento resineiro, desenvolvimento territorial e desafio demográfico”, organizadas pela Fundação Cesefor em Sória, Espanha.

A Fundação Cesefor, igualmente um dos promotores da Rede Europeia dos Territórios Resineiros, no âmbito do projeto SustForest Plus e que lidera a rede de inovação das resinas naturais, considera que a atividade de extração de resina é uma das possíveis fontes geradoras de emprego rural pelo que estas jornadas esperam contribuir para a reflexão “sobre medidas de apoio institucional que poderiam ser adotadas para impulsionar o seu papel como ferramenta na luta contra o despovoamento.

A RETR tem precisamente como objetivo levar a que sejam adotadas medidas políticas, a verter no próximo quadro comunitário, para que a resinagem seja vista muito para além do seu potencial económico.

“Depois da quebra acentuada que registaram no virar do século, as resinas europeias estão novamente a ser procuradas num mercado que valoriza produtos naturais, ambientalmente sustentáveis e que potenciam outras atividades na floresta”, afirmou João Lobo.

O pontapé de saída para a criação da RETR foi dado a 30 de maio, com a Declaração de Proença-a-Nova, documento que resultou das jornadas internacionais “O aproveitamento resineiro, florestas com futuro”, realizadas no Centro Ciência Viva da Floresta.

“É nossa expetativa, quando o projeto SustForest Plus terminar, em 2021, que o projeto piloto que vamos implementar num pinhal em Proença-a-Nova seja incentivo para que outros sigam o exemplo e contribuam para a reativação desta atividade com escala e impacto”, concluiu João Lobo.



Última edição